Como iniciar um planejamento de obras residenciais?

Conheça o passo a passo para construir a casa dos seus sonhos sem sustos. Descubra como iniciar o planejamento de obras residenciais.
Atualizado em 10/07/2019
Planejamento de Obras Residenciais

Veja o passo a passo para construir a casa dos seus sonhos sem sustos

O planejamento de obras para a construção de uma casa exige foco e atenção a uma série de detalhes, desde a definição do terreno e o levantamento da mão de obra até a compra dos materiais e a obtenção de todos os documentos necessários.

Essa é considerada uma das etapas mais importantes de todo o processo. Um planejamento cuidadoso de uma obra residencial mantém os imprevistos sob controle, garante a entrega no prazo e o mais importante: evita desperdícios e gastos excessivos e emergenciais.

Segundo reportagem publicada pela Revista Exame, em 2015, o brasileiro tem o costume de dedicar pouco tempo para o planejamento de obras, ⅕ do total. Em países mais desenvolvidos, a elaboração de projetos, cronogramas e as projeções de custos consomem muito mais tempo: cerca de 40% do tempo previsto para uma obra no Japão; na Alemanha, 50%.

Se você está pensando em construir a casa dos seus sonhos é fundamental seguir alguns passos, por isso, preparamos esse material sobre como planejar a sua obra do zero. Confira!

1 – Escolha do terreno

O primeiro passo é escolher o terreno certo e, para isso, é importante ficar atento a alguns detalhes, como: desníveis do terreno, qualidade do solo, área permitida para a construção da casa e localização. Essa análise é fundamental, pois pode encarecer o projeto final. Recomenda-se pedir auxílio aos profissionais da área de arquitetura.

2 – Planejamento de obras: definição do orçamento

Outra etapa muito importante do planejamento de obras é a realização de orçamentos. Se o projeto for viável, de fato, no terreno escolhido, é hora de trabalhar no orçamento. Para isso, você pode utilizar de planilhas de controle. Com essa análise, será possível definir o tamanho e a qualidade da casa, além do tempo gasto para a conclusão da construção.
É importante não “exagerar” para não correr o risco de não conseguir concluir o projeto por falta de orçamento. Mas, lembre-se: economizar demais em itens essenciais para o bom funcionamento da sua casa pode trazer muitas dores de cabeça a médio e longo prazo.

3 – Regularização da obra

É durante a fase do projeto que você deve já se preocupar com a regularização da obra. Isso porque, uma construção sem os requisitos necessários pode receber multas e notificações. Veja alguns itens fundamentais para a regularização e licenciamento da obra:

– Matrícula do imóvel
– Contratação de Profissional Habilitado
– Projeto Arquitetônico
– Alvará de Construção
– Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)
– Placa, plantas e ART na Obra
– Certidão Negativa de Débito (CND) INSS
– Atestado das concessionárias de água e esgoto
– Atestado de conformidade da instalação de energia elétrica
– Auto de vistoria do corpo de bombeiros
– Habite-se
– Registro do imóvel

4 – Contratação de um arquiteto

Segundo a legislação brasileira, é obrigatório o acompanhamento técnico durante a construção de uma casa. Por isso, é preciso incluir essa etapa no seu planejamento de obras. Após a definição do orçamento, é importante contratar um arquiteto para a criação do projeto.

O trabalho deste profissional será colocar no papel todos os seus desejos e sonhos, permitindo que você construa uma casa de alta qualidade e que atenda às suas expectativas. Além disso, ele também fica responsável pela estética da obra e por atender às condições do terreno e suas necessidades.

5 – Contrate um engenheiro

O papel do engenheiro civil é viabilizar toda a parte estrutural da construção. Ele está habituado a realizar os cálculos necessários para concretizar o projeto idealizado pelo arquiteto com total segurança. Ele também estabelece o tipo de fundação e dimensiona a parte estrutural, como pilares, estacas e vigas. Além de executar as instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, de acordo com as normas técnicas. Ou seja, esse profissional é imprescindível para garantir a estabilidade, a economia e a segurança do imóvel.

6 – Seleção de mão de obra qualificada

Depois de tudo isso, chega a hora de selecionar a equipe de trabalho, de acordo com o orçamento previsto no planejamento de obras. Normalmente, devem-se contratar mestres de obra, pedreiros, pintores e serventes que possuam referências. O arquiteto e o engenheiro contratados poderão fornecer indicações de pessoas com quem eles já tenham trabalhado.

7 – Acompanhamento da obra

A execução da obra precisa ser acompanhada e avaliada constantemente. Somente assim será possível tomar decisões estratégicas, caso algum imprevisto aconteça. Esse item também é fundamental para que toda a equipe esteja ciente e execute as etapas dentro dos prazos e dos orçamentos pré-definidos.

Além de tudo isso que citamos, um bom planejamento de obras prevê a contratação de um seguro de obras. Assim, caso aconteça qualquer imprevisto, seu projeto residencial estará seguro. Um bom seguro de obras vai fazer com que sejam evitados prejuízos durante todas as etapas do seu empreendimento.

Depois de planejar, está na hora de executar. Confira os cinco erros mais comuns em gestão de obras.

Ricardo Ferraro

Ricardo Ferraro

Corretor de Seguros há mais de 20 anos. Formado em Engenharia Civil. Casado e pai de um lindo casal. Adoro trilhas, corrida, acampamento – Vivendo o melhor da vida.

Procurando Seguro de Obras até R$300mil?

Conheça nossa contratação rápida e agilize seu dia.